Dos Tonteios Que Confesso Ter...

A questão foi que eu passei tempo demais tentando dar nomes ao que não precisava em lugar de ir em frente e dar vida ao que precisava viver.
É que nós - as pessoas - temos a estranha maneira de complicar tudo com os nossos métodos e fórmulas infalíveis que não nos levam a lugar nenhum, nos mecanizam... não deixa transluzir. A questão é que era ela, e é, e eu preciso fazer algo antes que o portal que dá acesso a essa nova dimensão se feche outra vez e me deixe no frio, do lado de fora.

De tanto temer errar eu acabo me esquecendo também de acertar, e querendo acertar eu quase deixo de ser eu mesma. Eu não quero dizer-te que penso em ti a essas horas da madrugada, e com tanta falta que remói a garganta. É que eu quase me esqueço que com o tempo as pessoas acabam se esquecendo que o natural é envergonhar-se somente do que é indigno, mas o crucial é ser quem se é. E você sabe que eu tenho sentimentos, e é normal que eu esteja desejando muito, mas muito te ver a ponto de doer agudo, e talvez querer fugir.
E não me diga pra não me apaixonar porque eu vou encher a tua casa de flores.
Não se trata de querer despejar em você toda a carência que eu mesma dissimulo não ter.
É saudade, saudade e carinho, e só.

E eu que pensei que seriam suficientes todas aquelas vezes que entre um beijo e outro, entre um entregar-se e outro, eu te olhava atentamente os detalhes, com fome de guardar qualquer imagem tua que pudesse amenizar a saudade que eu começaria a sentir milésimo de segundos depois de você beijar a minha boca que se faria outra vez fria e soltar as minhas mãos pra entrar naquele trem que te levaria pra cidade ao lado. Eu imaginava que quando você subisse naquele trem algo de mim seria levado, mas não sabia que me doeria tanto a ponto de me tirar a paz na segunda-feira. A saudade segue aqui, e toda a tentativa de te manter fresca na lembrança foi só artifício pra me prender mais ainda na falta que eu sentiria.

Essa noite eu não vou chorar de saudades.
Vou fechar meus olhos, e exigir que as horas tragam você pra mim. Outra vez.


Por Dani Cabrera

Comentarios

  1. Maravilhoso ?
    Naoo, magnifico ? POcooo .. rsrs
    Jah te disse qe minha rotina mais perfeita é olhar nas atualizoes e ver seu nome ?
    Apareçi mais guriiiaa
    Belas, e sublimes palavras ..
    Sempre, desde que eu me entenda por gente ..
    É como vc diz .. daqele amor qe sinto, nao medido, não expressado, nao falado, apenas sentido .. rsrs
    Sublime
    Cum deus, qe ele te abençoe sempree

    .

    ResponderEliminar
  2. Como sempre palavras lindas ;D
    Sou tua fã Dani!

    ResponderEliminar
  3. ai, tão doce.
    Tão amor.

    ''E você sabe que eu tenho sentimentos, e é normal que eu esteja desejando muito, mas muito te ver a ponto de doer agudo, e talvez querer fugir.
    E não me diga pra não me apaixonar porque eu vou encher a tua casa de flores.''

    VocÊ escreve bem demais.
    Adoro ler aqui.

    Beeijão.

    ResponderEliminar
  4. Senti saudades dos seus textos romanticos e das suas musicas... vim aqui dizer oi :)

    Beijos Meus...

    ResponderEliminar
  5. Aiiiii, tão lindo.
    Como certa vez relatou Miguel Falabela, a saudade dói.

    ResponderEliminar

Publicar un comentario

Entradas populares