domingo, 21 de abril de 2019

2019



Echarte de menos en una tarde como esta, sabiendo que vendrás – que en un par de horas entrarás por la puerta de nuestra casa. Por aquí todo te espera.
Dejaré una vela encendida en la entrada y la lámpara encendida en la esquina de la sala. Lavaré las cortinas y saciaré tus antojos. Te llenaré de besos, respiraré tu aliento y me quedaré muda – sólo yo sé lo que mueves dentro de mí. Reinas en mis universos, eres la diosa de los gatos y el amor de mi vida. Llegarás con tu luz, inevitablemente llenarás cada rincón de vida y las plantas recobrarán su vigor. Me mirarás, me abrazarás y me sentiré en casa; me dolerás con la belleza punzante de Turiya and Ramakrishna.
Eres mi bandera y te alzo sobre mi vida como mi estandarte, mi compañía innegociable, conocedora de mis torpezas y mis intentos de ser lo mejor que puedo ser. Eres fuente de alegría y tranquilidad, soberana; me haces sentir completa cuando me abrazas por la espalda. Renuevas nuestros vínculos besándome entre las cejas y me regalas toda tu nobleza.
El amor vence siempre que los dos lados ofrecen todo lo que tienen en sus manos sin miedo a perder, sin esperar ni ofrecer trampas. Vence cuando la estrategia se resume en trazar salidas de paz. El amor vence cuando es de verdad amor, cuando los lazos son genuinos, cuando las bases son firmes y resistentes, cuando la vida de una es casi lo mismo que la vida de la otra.   


lunes, 3 de octubre de 2016

Sete Vezes Sete


As palavras são poucas, mas tudo aqui dentro segue sendo farto, mesa posta, coisas boas.
Quem diria, meu bem, naqueles inícios tão improváveis, que a vida ia ser assim de bonita? Não consigo imaginar qualquer outra possibilidade distinta, só de pensar o mundo já se converte em pura desgraça. 

Quem diria que toda a beleza de Le Baquet de Yann Tiersen seria superada? Quem diria que existe um lugar,  com não mais de oitenta metros quadrados, mais bonito que o Vilarejo de Marisa, justo no meio de uma metrópole imparável, cheia de andanças, cheia de encontros e de despedidas? Quem diria que a mesma cidade que nos fez achar, morria de vontade de estar cheia de nós?

Quem diria que depois de sete anos eu continuaria me apaixonando com constante devoção por esses olhos cinzas e por esse corpo branco? Quem diria que eu, que assumo já não ser a mesma de antes depois de tanta lucidez, continuaria encontrando esse momento de sonho, acreditando em tudo o que há de mais sereno?

Eu gosto de te olhar quando te levantas nua para buscar água, quando te deitas e te encaixas nesses meus braços desajeitados, quando fico em silêncio para escutar o teu suspiro. Não existe no mundo nada melhor que a tua companhia. 

Quem me dera ter a quem agradecer por tanta alegria. 






jueves, 31 de diciembre de 2015

Do Tempo que Passa


Quando me dei conta o nosso barco já estava em pleno alto mar, eu já conhecia as tuas primeiras rugas e você o meu primeiro cabelo branco. Nosso dia a dia estava cheio de histórias, de riso e de choro - a minha vida já estava cheia de ti. Noutro dia alguém me disse que já não queria   compartilhar vida com ninguém, que "com os anos se perde o encanto". Também disse que o amor se acaba  quando ao chegar em casa o que se encontra não está coberto de colônia e roupa limpa, nem da melhor peça de roupa. Me perguntei a mim mesma sobre o que é que as pessoas esperam das otras, o que um ser humano espera de outro ser humano. Porque sempre tive a certeza nessa minha verdade pessoal de que o amor começa justamente aí: onde os contos de fada se acabam, onde o romanticismo cai por terra, onde o humano começa a florescer. O amor começa quando a simpleza é  admirável e aguda, qual ruído de ponta de agulha no prato,  quando até as debilidades somam e o cenário nem sempre é de lírica. Começa enquanto dormimos e cresce feito gigante - silencioso, tranquilo, esplêndido. E quando a gente percebe o tamanho é assim: a carne de um é quase a mesma coisa que a carne do outro.


Dani Cabrera

lunes, 6 de abril de 2015

Bienvenido Abril


Quererte en un día como este y hacer las paces con la nueva estación. Porque ya es abril, y sin darme cuenta he vuelto a creer en esta belleza - antes grisácea - que se tradujo en un haz de luz dorado insistente, que entra por la ventana desviándose de las cortinas, intentando encontrar reposo en nuestra cama.

Quererte es pensar en ti a la vez que siento esa paz que la primavera nos brinda en un final de tarde. Quererte es bailar sola en el salón de casa y reír, sola, abobada por la suerte que tuvimos. 
Quererte es saberme libre y respetada.
Quererte es no cuestionar si mi “saberme libre” te hace daño. 
QUERERTE ES SER LIBRE CONTIGO.

Quererte es desearte cada vez más después de más de dos mil días a tu vera. Es esperarte en nuestro escondrijo con la ansiedad de una niña pequeña, donde solo nosotras comprendemos ese idioma que casi siempre prescinde de palabras. Quererte es verte y embriagarme sólo con mirarte - me dilatas las pupilas y me ciegas los ojos: tú me abres los poros y me invades sin compasión.


Gracias por hacerme conocedora de cosas tan bonitas.

Queriéndote sigo.

Tu Dani. :)



domingo, 4 de enero de 2015

Sobre Sinônimos e Dentes-de-leão

|plenitude 

Significado de Plenitude 
(Etm. do latim: plenitudĭne)
 n.f. 
1. Condição daquilo ou daquele que se encontra a usufruir de todo o seu vigor; 
2. Magnitude ou desenvolvimento; 
3. Grandiosidade ou vastidão; 
4. Condição daquilo ou daquele que se encontra integral, inteiro ou completude; 
5. Do mesmo significado de totalidade. 
6. Plenitude é esse sentimento que me eche cada vez que fecho os olhos e penso em ti, é sorrir boba de amor ao escutar Familiar Ground, desfrutando dessa coisa bonita que você me dá todos os dias. É esse coração disparado quando ouço a chave girar na porta de casa e não temer ao futuro porque sei quem somos e confio nessa beleza que nasce onde quer que estejamos. 
7. Plenitude é o que sinto todas as noites deitada na cama abraçada às tuas costas brancas como o marfim, cheia de estrelas que não me canso de contar. É a nossa casa, onde cada cômodo é uma coletânea das nossas vidas, é esse lugar onde eu não me sinto só.
8. É você e sou eu. É o que vivemos hoje e é o que há de vir.


Agarra mis manos con mucha fuerza y camina sin temer.

¡Te quiero!



Dani

sábado, 25 de octubre de 2014

Dessa Música Que Não Pára de Tocar



Gosto de olhar para trás. 
É bonito ver que os dias e anos vão passando com pressa, que as estações mudam, que nas minhas expressões se desenham linhas de tempo e que tu permaneces aquí vendo tudo isso acontecer abraçada a mim. Gosto de lembrar daquelas dificuldades bobas, daqueles planos de aventura implícita, daquele desejo que hoje é a nossa vida. 

Gosto de sentir o cheiro da pintura amarela do quarto pequeno de convidados enquanto te escrevo essas linhas e tu me gritas a cada cinco minutos. Gosto de abraçar teus compromissos, tuas preocupações e tua alegria. Gosto de ti, tanto-tanto que só de pensar minha alma inteira se despedaça e alça voo - tropeça bêbada de tanto querer e cai sem jeito, sorrindo feito aprendiz ao teu lado. Gosto das tuas manias, do teu metodismo, do teu pai, da tua mãe, da tua tia. 

Gosto dessa sensação de vida bem vivida, de aposta que valeu a pena, dessa paz e dessa luz que invade a nossa casa todas as manhãs (ainda que chova quase sempre). Gosto do teu corpo bonito de mulher, gosto do cheiro que escondes dentro da tua camiseta, detrás do teu pescoço e debaixo do teu umbigo. Gosto das tuas mãos de artesã, que me modelam, me despertam e me fazem dormir. Gosto da ideia de que por acaso seja um desafio andar de mãos dadas pela Ruas das Pessoas Tristes, e desses beijos que me dás entre sorrisos e surpresas, ondeando nossa bandeira de todas as cores. 

Gosto de que você goste tanto de mim também. 
Gosto de ser tua a companhia, gosto de que contes sempre comigo e de que tenhas a certeza de que tudo vai ficar bem. Tudo vai passar e eu aquí estarei, também abraçada à ti. Gosto de saber que o dia de amanhã ainda é incerto, completamente desconhecido, mas o nosso trabalho, cariño mío, nos dá a garantia de que não é preciso temer a nada.

Estou agarrada a ti. 
Não te solto nunca mais. 
Não me soltes nunca mais. 

Benditos son tus ojos grises.


 Dani Cabrera

martes, 3 de septiembre de 2013

Sea Inside


Agora eu entendo o motivo de nada antes ter vingado. 
Entendo que foi preciso perder tudo o que não era meu e que todo o drama-queen não era fracasso. Entendo, agora, porque sei quem sou e onde estou – entendo porque sei quem és e onde estás. Estás aqui e desde então tenho a sensação de que já não necessito tanto pra me sentir... sentir... Feliz. 

Te amo silenciosamente. Olhando-te nos olhos, beijo-te com meu sorriso e por dentro meus sentidos soam como trovão e depois tudo volta a ser silêncio – como se não precisasse dizer uma palavra mais sequer. Nunca mais.  

Tudo se faz calmaria.
E aqui seguimos mar a dentro.

Dani Cabrera


viernes, 19 de octubre de 2012

Valsa para nosotras



Hay quien me quiera parecido, pero no hay en el mundo quien me quiera como yo te quiero a ti. Eso no me desalientaY ahora mismo que los papeles se invierten, todo se ve todo tan-tan-tan claro que el verbo se hace pródigo. La poesía es eso: la falta, el antojo. Es pensar en ti, a quien tengo a mi lado, y disfrutar sin entretenerme con tus benditos ojos grises.
 
Mis sentidos gritan de alegría a más no poder.

La pequeña gigante Madrid ya es NUESTRA.
 
 
Por Dani Cabrera

domingo, 9 de septiembre de 2012

Primavera Repetida



Todos os tempos chegam. Ainda bem.
O que antes não era, passa a ser – deve ser assim que o mundo muda. Ainda bem.
E eu que antes andava só e tudo parecia um pouco fora de lugar. Mas desde que ela está aquí, o mundo parece um lugar melhor. Não digo que tudo agora é mais fácil, não me desentendam - mas sim, tudo parece bem melhor desde que meu peito é o abrigo dela. E se alguém me perguntar se é por acaso ou por destino,  eu não sei dizer. Então que seja pelo motivo que tiver que ser, mas que essa estrada ao lado dela seja sempre esse caminho de encontros e que me acompanhe sempre essa sensação de ser a pessoa mais afortunada do planeta. Que assim seja.
Todos os tempos chegam para quem algo anseia. Ainda bem.
Era ontem quando eu sonhava mostrar-te meu mundo de calor e Bossa, meus pilares, o amanhecer da terra verde-amarela. E que feliz me senti ao ver-te florecer onde eu pensei que tudo se resumia em uma confusão e caos. Despojei-me diante de ti e agora mais do que antes sabes bem tudo o que eu sou. E tú, quem és? Tú és a força que levo dentro, és minha valentia, és a certeza de um futuro bom. Treinas meus olhos para discernir matizes de paz e clareia a minha vida inteira cada vez que desperto ao teu lado.
Agora já falta muito pouco para que conheçamos nossa nova cama, a nossa casa nos espera ainda perdida e eu conto o tempo com o peito em chamas, o corpo no ar e minha mente em ti. São as últimas horas de sentir saudades. E depois disso a mesa é para duas.

Te prometo todo o amor que eu possa sentir até que seja tudo isso uma história bonita contada pelos que nos sucedam. Abre bem os braços que eu estou chegando!

Te quiero y gracias por todo, todo, todo.


Por Dani Cabrera

lunes, 25 de junio de 2012

Amanecer


Es que ya estás llegando. Y como tú, todo lo demás. 
Como todo eso que ha llegado contigo cuando apareciste. 

Es que tengo la sensación del desatar de un buen día de mañana, de enigmas descifrados, de pelos de punta, que si no fuera por detalles tan pequeños, podría jurar que nada de eso es realidad y que todo no pasa de ensueño. La casa vieja tuvo que caer para que la nueva se pudiese levantar fuerte, como aquí dentro ya la veía yo con mis ojos de quimera. Es real. Y está de pie, es el hogar de todas mis razones de querer siempre algo nuevo para dos. Has abierto puertas y ventanas y sigues haciéndolo sin descanso – ya hace tiempo que no soy una en este mundo, lo que pienso para mí, lo deseo para ti. Solo por verte sonreír. 
Ya estás volviendo otra vez de esos seiscientos kilómetros de frío. Volverás; para pesar del lado derecho de nuestra cama - qué feliz me siento al verte venir por el pasillo y tu pijama tirado en la esquina de la habitación. Que llegues ya - y que me mires a los ojos y me dejes saber otra vez el olor que escondes debajo de tus pelos castaños mientras me abrazas, mientras solo sé pensar en lo bueno que es tenerte aquí. Mueves el mundo minúsculo en el que vivo y me tiras al suelo. Me vuelves a levantar y soy capaz de ver mil horizontes nuevos en esa suma-de-vidas. 
¿A dónde iré yo si no te vienes conmigo? 
Enamórate conmigo de un plan cualquiera y preparamos nuestras maletas. Sácame de esa rutina que ya resta y te prometo comer más vegetales. Ahoga mis miedos y enséñame a flotar sobre el agua, pero jamás me quites tu mirada y la paz de dormir apoyada a tu espalda. Propónme cosas, propónme mucho, vuélveme loca, cuéntame tus deseos y verás que casi nada es imposibles. 

Ya queda muy poco, en dos días estarás aquí y pronto viene el mes de julio. 
Es que el verano ha llegado finalmente y todo me huele a cambios, a novedades, a cosas buenas.

Dame la mano y prepárate para girar muy rápido. 
Creo que el futuro acaba de empezar. Por fin! :D


Por Dani Cabrera

2019

Echarte de menos en una tarde como esta, sabiendo que vendrás – que en un par de horas entrarás por la puerta de nuestra casa. Por aqu...