Das Razões Que Tenho Pra Sonhar...

Ali está.
Pra todos aqueles que desejam saber por onde andam as minhas motivações, apresento-lhes a minha razão de querer envelhecer olhando o céu. E não me venham julgar, tampouco massacrar minha possibilidade, minha oportunidade de ser feliz assim como sempre precisei. Como na verdade sempre mereci. O amargo nunca há de sobrepor o doce.

Ali está, senhores!

O meu então motivo de permanecer voltando sempre, incansavelmente. Um motivo feito de doçura, parecido com aquele de crianças, ao descer da roda gigante que paira, e corre mais uma vez para o final da fila - em êxtase - um ciclo interminável de satisfação. Entendam: é que ver o azul intocável de perto é sempre um afago na alma.

E se quiserem entender mais a fundo, percebam as criancinhas ainda mais intensas: quando chegam ao topo, no mais alto que podem, fecha os olhos pra sentir a calmaria que acaricia o rosto, a luz que adentra por algum lugar que não se sabe onde, uma vez que os olhos não olham pra fora, mas pra tudo o que possa existir num registro – ou anseio - interno. E talvez seja dali que vem a luz mais forte a se ver. De presente, se ganha a satisfação em sonhar meio a vida real, com brisas de mãos macias soprando leve, sobre os cílios, as maçãs do rosto, os olhos fechados...Em momentos assim, é que se descobre a possível relação entre sonhar acordado, entre a realidade “tão, mas tão boa”, que mais parece sonho.

Quando encontrei meu motivo, saibam que senti a brisa que há anos senti naquele parque de diversões que hoje já não existe mais. Um sonho real que terminou compensado – superado até – com a presença de meu bem, que apenas ao me chamar o nome me faz voltar a sentir todas aquelas coisas boas que só as crianças podem sentir.

Eis aí, a razão de o meu permanecer. Minha vontade de vida, um assombro bonito que me faz brotar flores no peito - no meu que digo e no teu que lê - um feixe de luz que me deteve, iluminou medos, adoçou meu agror. Com algumas pinceladas de afeto derrubou meus muros e pintou um sorriso bonito no meu rosto outrora cabisbaixo.

Invadiu minhas reservas e salvou a minha vida com urgência.

Por esses e por outros infinitos motivos senhores, apresento-lhes a minha felicidade!

Apresento-lhes então, o amor que sinto.


Pra vida toda, e pra eternidade: como combinamos!


Por Dani Cabrera

Comentarios

  1. Nossa amiga!!! que coisa mais linda!!!! como acabamos de conversar...ME SINTO COMO UMA CRIANÇA!!! .....lindo demais!! te amo..você é inenerrável!! bjus

    ResponderEliminar
  2. Oi Dani!!!
    É, precisamos nos encontrar!!!
    Menina, o que me chamou a atenção foi o título do post: "Das razões que tenho pra sonhar". Mil razões para não sonhar, uma para buscar cada um que nasce...o desejo de ser feliz!

    Adoro vc e seu espaço!
    Mil beijos.

    ResponderEliminar
  3. E quantos suspiros...

    Quantas razões para sonhar...ler o seu texto é uma delas, tudo é leve, livre de correntes, sereno, tão tranquilo.

    Beijos e logo estou de volta.

    ResponderEliminar
  4. Você define seus comentários perfeitamente: "suspiros"... Não consigo fazer outra coisa depois de ler seus textos...

    ResponderEliminar
  5. Oh, mais que lindo texto, gostei bastante.
    Continue nesse ritmo e terei que passar por aqui muitas outras vezes mais.
    All3X

    ResponderEliminar

Publicar un comentario

Entradas populares